Nutrição é especialidade fundamental no tratamento oncológico

A nutricionista Gabryella Batista é a mais nova integrante da equipe multidisciplinar do ICB – Instituto de Câncer de Brasília, mas a sua história com a nutrição não tem nada de recente.

Na sua infância, lidar com a obesidade era algo particular. E tentando cuidar da saúde, se viu num círculo vicioso: tomava remédios prescritos por nutricionistas, perdia peso e, quando interrompia o uso, dobrava o peso inicial. Até que seguiu a reeducação alimentar, respeitando suas individualidades.

Tudo isso despertou o interesse não só pela nutrição, mas também pelo cuidado diferenciado no consultório.

Eu tento trazer isso para os meus pacientes, uma visão emotiva da alimentação, isso é fundamental para mim.

Início na oncologia

Gabryella é nutricionista, com especialização em nutrição clínica, nutrição oncológica, cuidados paliativos, fitoterapia e suplementação, obesidade e emagrecimento e geriatria. Mas todos os caminhos a levaram à oncologia. Ainda na primeira especialização teve contato com pacientes oncológicos na UTI do Hospital das Clínicas de Brasília, e a partir daí todo o seu caminho, até chegar no ICB, foi atendendo pacientes em tratamento de câncer.

Eu entrei na oncologia por acaso, mas eu me sinto realizada. Eu consigo ver melhora nos meus pacientes todo dia. Eu sei do caso de cada um, a vitória que cada mudança representa e como os ganhos são importante para a saúde deles

Importância da Nutrição Oncológica

A multidisciplinaridade é fundamental no acompanhamento oncológico. Além de ser uma doença multifatorial, o câncer também causa outros problemas de saúde e seu tratamento provoca vários efeitos colaterais.

Dependendo da localização e estágio do câncer, temos complicações diferentes. Mas são muito comuns a esses pacientes: desnutrição, desidratação, fadiga, perda de massa muscular, alteração no paladar, alteração no metabolismo, entre outros. E tudo isso pode atrapalhar o tratamento, pois quanto menos saudável uma pessoa estiver, menos preparada estará para receber os quimioterápicos e mais efeitos ela vai apresentar. E é possível reverter ou amenizar esses processos com a nutrição.

Para cuidar desses casos, Gabryella foca na individualidade do paciente e na criatividade para se adaptar ao momento que cada um está passando.

Se alguém relata que teve alteração no paladar e não consegue beber água, eu preciso ter novas ideias, como adicionar limão, gengibre, canela… Se o paciente tem ferida na boca ou pressão alta, eu já preciso pensar em outras opções. O bem-estar e qualidade de vida sempre vêm em primeiro lugar.

Atuação no ICB

No ICB, Gabryella Batista vai contribuir de duas formas: no atendimento a pacientes (oncológicos ou não) e no cuidado com a cozinha do instituto. Para ambas atuações, a nutricionista está elaborando protocolos.

Os de atendimento serão organizados de acordo com o estado de cada paciente. Após avaliação, vai ser determinado o risco nutricional e quais cuidados e orientações cada um vai receber.

Está sendo feito também um trabalho para reduzir ao máximo os alimentos industrializados do local e uma busca por fornecedores de frutas e legumes para oferecer aos pacientes caldos, sopas, purê de frutas e sucos naturais. “E todos vão ser acompanhados de perto. Estou sempre em contato com a equipe médica, totalmente disponível e acessível para todos os meus pacientes.”

Os comentários estão encerrados.