Exames e Procedimentos

FERROTERAPIA
A ferroterapia é prescrita pelo hematologista e consiste na administração de ferro, por via injetável ou oral. É indicada para casos de pacientes que tenham deficiência de ferro, que pode, ou não, ser acompanhado de anemia.
BIÓPSIA DE MEDULA
A biópsia de medula óssea é feita através da colheita simples de uma pequena amostra de medula. O objetivo é examinar, com o auxílio de um microscópio, possíveis células de linfoma ou qualquer outra alteração.
ANTIBIOTICOTERAPIA
Trata-se do uso de antibióticos para tratamento médico com base nos sintomas do paciente. O tratamento é feito com o uso de antibióticos mais eficazes, de acordo com os sintomas relatados pelo paciente. Dessa forma, a medicação é prescrita de imediato, não necessitando que seja identificada a bactéria causadora da infecção.
PUNÇÃO LIQUÓRICA
O exame consiste na coleta do líquido cefalorraquidiano, ou líquor, da medula espinhal. O líquor é responsável por banhar o cérebro e a medula espinhal, então a punção liquórica ajuda no reconhecimento das variadas infecções meníngeas e neurológicas, além de auxiliar na prevenção de diversas condições inflamatórias do sistema nervoso.
INFILTRAÇÕES ANALGÉSICAS
As infiltrações analgésicas são muito comuns no meio esportivo. A técnica consiste na aplicação de medicamentos (analgésicos e anti-inflamatórios) que aliviam a dor diretamente na região inflamada ou atingida por algum tipo de traumatismo. As articulações como joelhos, cotovelos, ombros, tornozelos e quadris são as áreas mais suscetíveis às infiltrações analgésicas.
QUIMIOTERAPIA
A quimioterapia é um tipo de tratamento para combater o câncer que introduz na circulação sanguínea compostos químicos. Ela é feita com medicamentos específicos que para destruir células que estão formando o tumor, impedindo, assim, que se espalhem pelo organismo. Como reação, a quimioterapia pode acabar gerando alguns efeitos colaterais, por isso é importante a avaliação da equipe médica para informar a necessidade do procedimento.
INFUSÃO DE MEDICAÇÕES REUMATOLÓGICAS
O procedimento é feito com a administração de medicações intravenosas e subcutâneas para tratamento dos pacientes com doenças reumáticas. Essas medicações, que são usadas em baixa temperatura, podem ser utilizadas em uso prolongado, de acordo com a avaliação da equipe médica.
BIÓPSIAS DE TUMORES SUPERFICIAIS
Os tumores superficiais são tumores que têm origem no tecido muscular, gorduroso, fibroso, vascular, nervoso, periarticulares ou linfático. A biopsia consiste na remoção do (s) nódulo (s) e, posteriormente, realizado um estudo através de um microscópio em busca de um diagnóstico clínico do tecido.
PULSOTERAPIA
A pulsoterapia é feita com a administração de altas doses de medicamentos por curtos períodos de tempo. O procedimento, que é feito através da medicação endovenosa, é para o tratamento de doenças autoimunes como, por exemplo, artrite reumatoide, lúpus e esclerose múltipla. Tem como objetivo neutralizar os efeitos da doença, para estabilizar a crise.
BIÓPSIA PROSTÁTICA
A biópsia prostática é um procedimento feito no paciente por um urologista após uma avaliação clínica e laboratorial inicial. Em caso de suspeita da presença de um câncer, então é pedida a biópsia prostática. O urologista recolhe amostrar de tecido prostático em busca de possíveis células cancerígenas.
MAMOTOMIA E CORE BIÓPSIA DE MAMA
A mamotomia é um tipo de biópsia de mama que permite localizar de forma precisa a lesão. O procedimento que é feito através de imagens geradas pela mamografia digital, é realizado em ambiente ambulatorial e substitui a biópsia cirúrgica em grande parte dos casos. Já a core biópsia é a retirada de pequena amostra de tecido da mama para avaliação, para saber se a doença é benigna ou maligna.
VASECTOMIA
A vasectomia é o fechamento dos canais deferentes do homem. A cirurgia é simples e feita com anestesia local no escroto, onde são cortados os canais que levam os espermatozoides às glândulas que produzem o esperma. O paciente é liberado no mesmo dia e a internação não é necessária.
MIELOGRAMA
O mielograma é um dos exames responsáveis por avaliar a medula óssea. Como a medula óssea é localizada no interior dos ossos, o procedimento é realizado por uma punção óssea, seguida de uma aspiração. É utilizada anestesia local, mas também pode-se usar sedação ou analgesia sistêmica.
PENISCOPIA
A peniscopia é um exame feito pelo urologista com função de observar lesões ou qualquer microalteração na regição do pênis ou escroto. O exame é recomendado quando a parceira ou parceiro do homem sentir algum sintoma de HPV.
MARCAÇÃO PRÉ-CIRURGICA
A médica responsável, após a checar o pedido médico e o exame que originou o procedimento, irá verificar a localização da lesão e realizar a marcação pré-cirúrgica. Para lesões mamárias é utilizado fio metálico ou radiofármaco para saber a localização da lesão a ser removida através de cirurgia.
POSTECTOMIA
A postectomia, ou como é popularmente conhecida, circuncisão, é uma cirurgia simples que consiste na retirada do excesso de pele que recobre a glande – prepúcio. O procedimento é indicado para quadros de fimose patológica, além de ajudar a prevenir doenças, inflamações e o câncer de pênis.
PAAF – PUNÇÃO POR AGULHA FINA DE MAMA E TIREOIDE
O exame é voltado à remoção de algumas células de nódulos ou massas do corpo visualizadas, antes, por exame de imagem. Normalmente é comum ser feito para saber tumores superficiais. A técnica consiste em puncionar, isto é, colocar uma agulha fina em cada nódulo para retirar as células a serem, depois, analisadas em microscópio. A glândula mamária e a tireoide podem ser acometidas por nódulos, necessitando da técnica.
ACESSOS VASCULARES PARA QUIMIOTERAPIA
O acesso vascular, ou punção venosa periférica, é um procedimento invasivo que visa administrar fluídos de forma contínua, administrar medicamentos ou manutenção de uma via de acesso venosa por meio de um cateter no vaso sanguíneo venoso. O acesso vascular para quimioterapia auxilia na proteção do paciente que necessita de inúmeros ciclos de quimioterapia, evitando complicações no processo.
SANGRIA TERAPÊUTICA
Também conhecida como flebotomia, a sangria terapêutica é uma prática milenar. O método é realizado através de uma coleta de sangue, que tem como objetivo de normalizar transtornos sanguíneos. O excesso de ferro no organismo, por exemplo, é uma das indicações para a realização do procedimento.